van dijk

A declaração foi feita pela próprio jogador que recorda um episódio medonho da sua vida. 

Aos 21 anos, Van Dijk esteve às portas da morte, tendo inclusive assinado um testamento.

“Só via tubos à minha volta. O meu corpo estava partido e não podia fazer nada. Nesse momento, todos os piores cenários estavam a passar-me à frente. Pela primeira vez na minha vida, o futebol não significou nada para mim. Só queria sobreviver. Eu e a minha mãe só rezávamos todos os dias e chegámos mesmo a discutir vários cenários”, revelou o holandês numa entrevista à ‘FourFourTwo’.

“A minha vida estava em risco. Eu e a minha mãe rezávamos e discutíamos cenários possíveis. Tive de assinar alguns papéis, um testamento. Se morresse, uma parte do meu dinheiro iria para a minha mãe. Claro que ninguém queria falar sobre isto, mas teve de ser. Podia ter sido o fim”, recordou o defesa do Liverpool à revista ‘FourFourTwo’.

O jogador, atualmente com 28 anos, recuperou dois meses depois, após algumas intervenções cirúrgicas. Na época seguinte rumou ao Celtic, onde permaneceu por duas temporas. De seguida mudou-se para o Southampton por duas épocas e meia e posteriormente foi recrutado pelo Liverpool, onde permanece desde janeiro de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.