O segundo golo do Manchester United ao Liverpool, da autoria de Marcus Rashford, passou a tema de discussão depois de as imagens televisivas mostrarem que o avançado estava – ainda que muito ligeiramente – em fora de jogo no momento do passe de Martial. O lance foi revisto pelo VAR, que ainda assim validou o golo apesar de o internacional inglês estar adiantado em relação ao penúltimo jogador adversário.

Porém, o que seria um erro em muitos outros países, em Inglaterra a decisão é considerada acertada. Porquê? Para precaver-se de eventuais erros na colocação das linhas de fora de jogo e também para fazer face a possíveis falhas do vídeo árbitro no que toca à definição do momento exato do passe, a Premier League mudou o conceito para terminar de vez com os foras de jogo milimétricos. Portanto, sempre que a linha que define o posicionamento do penúltimo defesa se sobrepõe à linha do avançado, o lance deve prosseguir.

A ideia passa também por beneficiar o atacante em caso de dúvida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.