alt

Escrito por: Ricardo Vidal

Num fim-de-semana que poderia ser de jackpot para o meu clube saiu-nos o tiro pela culatra. Não posso dizer que fico chateado mas sim triste e desiludido. No jogo da Alemanha com o Schalke fiquei chateado, irritado e furioso, mas a diferença está que lutamos até ao fim e honramos a camisola, mostrando que não somos inferiores só porque não temos petrodólares. No entanto, contra o Moreirense fiquei triste e desapontado. Não podemos ganhar um jogo de 11 contra 11 não correndo mais que o adversário, e jogando de uma forma displicente e desconcentrada. Não me digam que tipos que treinam horas diariamente não sabem executar um passe de forma assertiva. Isto de jogar futebol é como aprender a conduzir, primeiro somos descoordenados e de certa forma toscos, depois o corpo mecaniza e memoriza os movimentos. Contudo, se conduzirmos de forma displicente e desconcentrada por vezes temos acidentes. Precisamente o que aconteceu em Alvalade este fim-de-semana, um despiste que poderia ser fatal devido à nossa falta de cuidado na condução em piso molhado. Agora, não me venham com a história que o Sporting só ganha com o Nani em campo. Não me parece que o Moreirense seja assim tão superior à pior equipa dos leões. É preciso correr e como dizem os adeptos a camisola é para suar. A defesa é o fado do costume, Jonathan fez 50 cruzamentos pelo chão diretos ao guarda-redes adversário, Mané ficou em casa e Marco erra quando tira Adrien e não William. O inconstante Carrillo foi o único que remou contra a maré, falhando apenas um golo cantado após cruzamento de Montero. Resumindo e concluindo, o plantel é curto e fraco na defesa, efetivamente é, mas isso não os impede de correr e batalhar pela vitória até ao último segundo é isso não existiu neste último jogo e espero que se mude a página e se escreva algo diferente para a próxima semana. Marco aperta com eles, por favor.

Hoje, a sorte de uns foi a sorte de outros e calhou-nos na rifa o segundo classificado da Bundesliga. Uma equipa com algumas estrelas e que de todos os adversários possíveis noa seria, de facto, os que escolheria. Preferia jogar contra Paulo Sousa. No entanto, o Sporting já se deu bem contra uma equipa alemã e espero que o mesmo aconteça contra este Wolfsburgo.

Resta-me desejar a todos os leitores do Domínio de bola um santo e feliz natal, porque nesta altura do ano não há clubismos e todos devemos desfrutar junto daqueles que nos são mais queridos.

SL  

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.