Esta sexta-feira a UEFA tornou publica a decisão de não dar seguimento à queixa apresentada pelo Sporting contra o Benfica, no chamado caso dos vouchers.

O jornal ABola avança que a a decisão baseou-se na oferta não ser por si só ilícita, já que é considerada prática habitual de hospitalidade, pelo que não constitui qualquer tática de favorecimento.

O caso, recorde-se, foi trazido pelo presidente do Sporting Bruno de Carvalho em outubro de 2015, quando, no programa Prolongamento, da TVI24, acusou o clube da Luz de gastar “um quarto de milhão de euros” por ano em ofertas a árbitros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.