Notícia de última hora: o Sporting deixou de comer Cerelac, passando a ingerir umas belas francesinhas (já agora com uns finos a acompanhar). Após a mudança na poltrona de sonho, começamos a ver um Sporting mais maduro e, acima de tudo, com um espirito de entreajuda invejável. Podemos não ter um treinador de alto nível, mas sem dúvida que temos um treinador com amor ao clube e que transmite para os jogadores essa paixão para lutar pela vitória em todos os jogos. Por tudo o que os jogadores têm feito (ultimamente), contra tudo e todos, penso que o penalti contra o Metalist foi demasiado penalizador, principalmente para Rui Patrício que não merecia de todo. Numa altura em que se fala, nos bastidores, que a sua saída é mais que certa Rui Patrício merecia colocar um ponto final no Sporting com melhor sorte.

Contudo acredito que San Mamés é mais perto do que aquilo que imaginamos, e que Bucareste está aqui ao lado. Sou um leitor assíduo de toda a blogosfera do meu clube, e continuo com enorme tristeza a ler que nem a ganhar os adeptos estão satisfeitos. Após o jogo com o Metalist leio o seguinte, num Blog (na minha opinião dos melhores):

0 – O Metalist não é o Manchester City por isso não se percebe o jogo do Sporting na 1ª parte. Os ucranianos estavam incrédulos com a falta de atitude, raça, e vontade dos jogadores do Sporting.

1 – Sá Pinto está a aprender e  por isso tem direito a errar, mas mesmo assim, acho que posso dar o meu ponto de vista, consoante o que o vejo fazer nos comandos do meu clube, como o fiz sempre com qualquer treinador.

2 – Começamos pela semana passada: com a sucessão de jogos que o Sporting tem tido, existem jogadores que fisicamente se vão ressentindo mais que outros; casos de Izmailov e Capel, os mais flagrantes, pergunto como foi possível terem jogado 90´contra o Feirense?  

3 – Sá Pinto errou claramente na forma como abordou o jogo: transmitiu receio/medo aos jogadores que fizeram uma primeira parte a roçar o miserável, frente a este Metalist que se percebia quando a bola aparecia na sua área tremia que nem varas verdes.

Para os que dizem que a tática foi a acertada pois quase nos deu a vitória por 2-0, eu respondo: se tivéssemos entrado como o fizemos na segunda parte o resultado tinha sido 5/6 a 1/2.

4 – Na etapa complementar o Sporting entrou transfigurado, partiu para cima do Metalist, e sem surpresa marcou dois golos.

5 – Curiosamente ou não, depois de marcarmos os golos, em vez de voltarmos à tática da primeira parte de contenção, e explorar o balanceamento dos ucranianos, continuamos em toada muito ofensiva, com o fim do jogo a aproximar-se, sabendo-se que, se sofrêssemos um golo tudo ficaria em aberto. Sá Pinto empatado, entrou a defender, e a ganhar, no fim do jogo, quis atacar. Ele lá sabe.

6 – Não é a primeira vez que se precipita nas substituições:

6.1 – Já em Manchester, tal como hoje, mexe na equipa quando não se justificava, porque estava muito bem no jogo.

6.2 – Meteu dois jogadores de uma assentada, partindo a equipa, tal qual como em Inglaterra.

6-3 – Hoje retirou Capel quando este ainda durava mais uns minutos, e quem estava no estádio via, Izmailov, completamente nas lonas.

6-4 -Mete Renato Neto que ainda não tem andamento para este tipo de jogos. Se atacar ainda se safou, a defender, foi engolido pelo assalto final do Metalist. 

6-5 – Retirar Carriço porque tem um amarelo, foi arriscado, pois estava talvez a ser o melhor em campo.

(in http://quintadelduque.blogspot.pt)

 

Não digo que não concordarei com alguns pontos, mas teremos que ser assim tão exigentes e duros quando uma equipa ganha? Creio que não. Nem penso que seja este o melhor caminho a seguir. Este é o pensamento de todos os andrades e todos os outros que não nós.

 

Nota 1: O Sporting conquistou mais uma Taça de Portugal em Andebol frente ao Porto. Mais um título para o já vasto museu leonino.

 

 

Nota 2: Os juniores do Sporting empataram no Seixal a 1, depois do banho de bola que deram ao adversário, e não fosse a fífia de Rafael Veloso, os pupilos de Abel sairiam com o 1º lugar desta fase final.

 

 

Nota 3: Já todos sabemos o palhaço que é João Gobern, mas a falta de respeito para os contribuintes que lhe pagam o ordenado na RTP foi gritante. Um canal público devia de selecionar profissionais mais imparciais. Vejam só a sua reação em direto após o golo de Bruno César: 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.