Pouco depois de ter sido anunciada a suspensão de Nuno Santos pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, Miguel Braga, diretor de comunicação do Sporting, não poupou nas críticas à decisão devido a insultos dirigidos a Everton, do Benfica, na final da Taça da Liga.

“Para a próxima jornada, frente ao Tondela, não podemos contar com João Palhinha que viu (mais) um cartão amarelo injusto e com Nuno Santos, castigado a pedido com um jogo de suspensão, por factos que ocorreram em janeiro, na final da Taça da Liga que o Sporting venceu ao Benfica”, começou por escrever na secção editorial do jornal Sporting desta quinta-feira.

“E que factos foram esses? Que levaram o Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) a castigar mais uma vez Nuno Santos? – recordemos que apesar das imagens televisivas terem desmentido um relatório incriminatório, o jogador foi suspenso um jogo no pós-jogo com o FC Vizela por ‘uso de expressões ou gestos ameaçadores ou reveladores de indignidade’. Recordemos também que o facto de as imagens mostrarem que o jogador não fez o que está no dito relatório, de nada serviu para um CD que utiliza apenas essas mesmas imagens para castigar jogadores do Sporting, nunca para os inocentar. Mas voltemos a essa final da Taça da Liga. Nuno Santos insultou um jogador adversário, coisa nunca antes vista em Portugal entre jogadores, entre equipas técnicas ou mesmo entre jogadores e árbitros, nunca. Existe assim um critério para todos os jogadores e existe outro exclusivamente para Nuno Santos”, acrescentou.

Em jeito de conclusão, Miguel Braga relembrou a desigualdade de critérios adotados em decisões tomadas recentemente.

“É este o nosso CD, é esta a disciplina que manda no futebol nacional. O mesmo CD que se mantém em silêncio depois dos vergonhosos acontecimentos que se viveram no pós-jogo do Dragão, entre Sporting e o FC Porto. Elementos credenciados pelo clube em questão agrediram – e há várias imagens televisivas que o comprovam – jogadores do Sporting. Estádio interditado? Isso não, que ainda faltam alguns jogos para o final da Liga. E consequências imediatas? Quatro jogos de suspensão para jogadores do FC Porto – dois jogos aplicados a Pepe e outros dois a Marchesín – e seis ao Sporting CP – três a João Palhinha, dois a Bruno Tabata e um a Coates por ter sido (mal) expulso. Sim, o nosso capitão foi pisado por Taremi, que se lançou em voo angustiante, enganando o árbitro e muito possivelmente o VAR e, não bastou ter sido injustamente expulso, ainda teve de cumprir um jogo de suspensão por essa expulsão – é este o sentido de justiça e disciplina do CD da FPF”, rematou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.