O novo treinador do SL Benfica, Roger Schmidt já deixou claro à estrutura administrativa do clube que o alemão Julian Weigl não se enquadra na ideia de futebol que pretende implementar na Luz.

É nesse sentido que mantém alta a exigência pela aquisição de um médio-defensivo, posição no meio futebolístico designada por trinco ou ‘número 6’.

Segundo avança o jornal CM, Schmidt não faz questão que Weigl seja dispensado. Contudo, as contas são fáceis de fazer: deixa de fazer sentido que o Benfica tenha no banco de suplentes e mesmo pouco utilizado, um jogador com elevado potencial de mercado (avaliado em cerca de 20 milhões de euros) e que aufere um salário alto. Dito de outra forma, a venda do internacional alemão poderá financiar a aquisição de um jogador com outras características para a mesma posição. Schmidt pretende um futebolista mais intenso, com maior capacidade física para os duelos ‘corpo a corpo’ do meio-campo e largo especto de ação. Inclusivamente, com boa chegada a zonas de finalização e até capacidade de fazer golos.

O perfil está identificado e há até um nome que faria Schmidt assinar por baixo sem demoras. Trata-se de o costa-marfinense Ibrahim Sangaré, nome que já foi avançado como alvo do Benfica. O médio de 24 anos joga no PSV e, como tal, está totalmente identificado com o que o treinador pretende. Sangaré tem contrato com o clube de Eindhoven até 2025 e um valor de mercado próximo dos 20 milhões de euros. Preço que os responsáveis do Benfica consideram elevado.

Weigl sabe de todo este contexto e já fez saber que veria com bons olhos a saída.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.