ruipintohacker

Rui Pinto, hacker que está a ser julgado no âmbito do processo Football Leaks, voltou a associar o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, a alegados crimes de tráfico de droga.

Dias depois de ter aproveitado o caso de um avião que foi intercetado, no aeroporto de Salvador, no Brasil, com 500 quilos de cocaína a bordo, Rui Pinto partilhou agora uma referência a Vieira numa reportagem sobre a Operação Catavento, uma investigação de quase dois anos da Polícia Judiciária a uma alegada rede de tráfico de droga.

De acordo com a revista Sábado, a Polícia Jucidiária considerou que um dos elos em Portugal dessa suposta rede internacional seria o empresário Bruno Tavares.

Apesar de estar “atolado em dívidas de centenas de milhares de euros”, Bruno Tavares levava “uma vida faustosa”. E, adianta a revista, “conduzia um carro de alta cilindrada que era afinal do amigo Luís Filipe Vieira, o presidente do Benfica, com quem tivera vários negócios no ramo do imobiliário”.

Foi esta referência que chamou a atenção de Rui Pinto. “Operação Catavento e as coincidências que levam a Luis Filipe Vieira”, comentou o criador do Football Leaks, através das redes sociais, esta noite.

Ainda segundo a Sábado, as vigilâncias da Polícia Judiciária “chegaram a fotografar o carro e incluíram os registos no processo sem associarem Vieira a qualquer suspeita”.

Há poucos dias, a propósito do caso do avião com 500 quilos de cocaína a bordo, Rui Pinto tinha comentado uma nova situação em que “futebol e tráfico de droga” surgem “lado a lado mais uma vez”.

Nesse tweet, o hacker fez uma referência a Vieira. “De acordo com informações que não consegui ainda confirmar, um dos detidos na Operação Catavento era bastante próximo de Luís Filipe Vieira e conduzia um veículo automóvel propriedade deste. Ligações, curiosidades ou simples coincidências?”, escreveu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.