Procuradoria Espanhola pede prisão preventiva sem fiança para Villar

A procuradoria anticorrupção espanhola pediu, hoje, a prisão preventiva, sem fiança, para o presidente da Federação Espanhola de Futebol (RFEF), José Maria Villar, e para o seu filho, Gorka Villar, por eventual prejuízo de cerca de 45 milhões de euros ao organismo.

 

Segue-nos nas Redes Sociais

Facebook icon  Instagram icon Tiktok icon twitterx icon Pinterest icon Whatsapp icon YouTube icon

Também detidos estão o presidente da Federação de Tenerife, e o secretário da mesma.

Segundo revelaram à agencia espanhola EFE fontes judiciais, o presidente da Federação Espanhola de Futebol foi interrogado sobre as operações verificadas entre a RFEF e a empresa Santa Mónica Sports, bem como sobre o seu património e questões de índole profissional.

Fontes judiciais disseram ainda à EFE que, depois de cumpridos os trâmites para a adoção das medidas cautelares, o juiz da Audiência Nacional vai decidir se decreta a pena de prisão ou não.

Aos 67 anos, Villar, e os restantes detidos enfrentam queixas por administração desleal, apropriação indevida, corrupção entre particulares, falsificação de documentos e ocultação de bens.

Partilha nas Redes Sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Topo