DOMINIODEBOLA.com

Notícias, Futebol, Liga, Portugal, Betclic, Benfica, Sporting, Porto

O Pinto da Costa é que orquestrou isto tudo!

4 min read

Segue-nos nas Redes Sociais

Facebook icon  Instagram icon Tiktok icon twitterx icon Pinterest icon Whatsapp icon YouTube icon

Escrito por: Cláudio Moreira

Estive a pesquisar e a fazer umas contas a propósito dos insólitos castigos que vão sendo aplicados no nosso país. Não, não estou a falar dos castigos por via das medidas de austeridade de que quase todo o povo se queixa; falo dos castigos que os jogadores e treinadores de futebol levam quando se portam mal. Ora, o mais recente castigo envolvendo o Catedrático do Futebol, cuja última invenção é achar que tem um bom plantel sem defesa esquerdo e com um buraco no meio-campo, revestiu-se de uma curiosidade que não é estranha. Vamos por partes…

 

Curiosidade 1: No dia 22 de Janeiro de 2011, após o término da partida Benfica x Nacional da Madeira, as câmaras de televisão captaram Jorge Jesus a agredir o jogador Luiz Alberto. Muito se falou deste caso, se bem se lembra, e durante bastante tempo. Tanto tempo, que apenas 74 dias depois dos acontecimentos é que o treinador do Benfica foi castigado. Repito: 74 dias depois. Qual o castigo aplicado? Foram, justamente, 11 dias. Se fossem 12 dias, o Mestre da Táctica não estaria possibilitado a estar no banco para orientar a sua equipa frente ao FCPorto. Mas, bem vistas as coisas, ainda bem que lá esteve: assim, pode observar bem de perto uma das maiores humilhações da sua carreira. 98 dias após o incidente, Luiz Alberto foi castigado com 30 dias de suspensão por tentativa de agressão. É esta a verdade desportiva que tanto clamais, benfiquistas?

 

Curiosidade 2: No dia 2 de Março de 2012, na conferência de imprensa do jogo que opôs Benfica e FCPorto, em que os azuis e brancos derrotaram os rivais por 2-3, Jorge Jesus deu a entender que o juiz de linha não assinalou fora-de-jogo no golo de Maicon – golo esse que acabaria por dar os 3 pontos, de forma justa, aos portistas – porque não quis. Não vou tornar a falar das omissões que a Paula Rego do futebol cometeu deliberadamente no que diz respeito às incidências desta partida – não é esse o foco que aqui quero conceder –, mas, sim, da queixa que o mesmo juiz de linha entregou às autoridades comptentes pelas palavras ressabiadas de Jesus. Neste sentido, apenas 187 dias depois se tomou uma decisão. Repito: 187 dias depois. Qual o castigo aplicado? Foram, justamente, 15 dias de suspensão. O engraçado disto tudo é que a punição é válida apenas para as provas nacionais. Por outras palavras, as próximas 3 semanas estão ocupadas com selecções e Liga dos Campeões, pelo que a suspensão é uma não-suspensão. É uma falcatrua, uma mentira, uma manobra de diversão. Seria o mesmo que condenar o Bibi e companhia a trabalho comunitário numa escola primária. Não faz sentido, é absurdo e quebra todos os princípios de justiça e bom senso. É esta a verdade desportiva que tanto clamais, benfiquistas?

 

Curiosidade 3: Façamos uma viagem mais longínqua, até à época celebrizada como O campeonato dos túneis. Todos nós nos lembramos da absurda suspensão de que Hulk e Sapunaru foram vítimas. O jogo Benfica x FCPorto que desencadeou toda a celeuma ocorreu a 20 de Dezembro de 2009. Consegue adivinhar quanto tempo demorou até ser tomada a primeira decisão deste caso? 74 dias? Errado. 187 dias? Errado, também. Demorou, justamente, 3 dias. Vou repetir: 3 dias. Sim, as pessoas da Comissão Disciplinar da Liga, neste momento já extinta, na altura lideradas pelo insuspeito Ricardo Costa, demoraram sensivelmente 72 horas para suspender de forma preventiva os dois atletas citados. E 61 dias depois, Hulk era penalizado com 4 meses de inactividade e Sapunaru com 6 meses. É esta a verdade desportiva que tanto clamais, benfiquistas?

Enfim, muitas conclusões podem ser retiradas destes factos. Deixarei isso ao citério de cada um. No entanto, gostaria de ter um feedback à questão que levantei: é esta a famigerada verdade desportiva que Rui Gomes da Silva, Luís Filipe Vieira, João Gabriel e companhia apregoam? Queria ficar elucidado a este respeito. E evitem falar de escutas e fruta e corrupção; essa temática está mais do que gasta como discurso de desresponsabilização das atrocidades da nau benfiquista.

 

Nota 1: Na próxima semana, o articulista de serviço será Duarte Pernes. Portanto, doravante, este espaço será preenchido com o contributo de ambos. Espero que seja do inteiro agrado do auditório.

Nota 2: Fui apanhado completamente de surpresa com a saída do nosso Incrível Hulk. Tal com o artigo da semana passada relata, estava já confortavelmente conformado com a sua permanência. Pois bem, o clube sentirá muito a sua falta. Mas também sentira a falta de Jardel, Lisandro, Pepe, Deco, Falcao, Quaresma ou Ricardo Carvalho e continou a ganhar dentro e fora de portas.

Nota 3: Jorge Nuno Pinto da Costa foi submetido a uma operação ao coração. Repararam na diferença de tratamento mediático entre esta situação e a que envolveu Eusébio?

Nota 4: Tenho um assunto encravado, que me diz muito como antigo estudante do ramo jornalístico, do qual estou ansioso por falar. Estive mesmo para falar dele na crónica de hoje. Tratá-lo-ei assim que for mais conveniente.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Verified by MonsterInsights