Luís Filipe Vieira abriu o livro numa reunião com sócios do SL Benfica, no Seixal, na tarde do último sábado. O presidente do clube e outros dirigentes esclareceram os associados que ficaram sem resposta na assembleia geral de 7 de junho passado.

Segundo o Record, neste encontro com 18 sócios, realizado no Caixa Futebol Campus (CFC), Vieira fez-se acompanhar de diretores de outras áreas do universo encarnado, nomeadamente Tiago Pinto (futebol), Miguel Bento (marketing), Miguel Moreira (finanças) Luís Costa (sócios) e Luís Bernardo (comunicação), além de Nuno Costa (chefe de gabinete da presidência), que tratou da organização da reunião.

A sucessão do treinador Rui Vitória foi um dos assuntos que mereceu várias explicações, desde logo com Luis Filipe Vieira a esclarecer que não sabe como é que a notícia da saída do treinador veio parar aos jornais. Uma situação que, internamente, parece ter causado algum incómodo. Contudo, quando a decisão foi tomada, o primeiro nome na linha de sucessão era o de José Mourinho. Só após o Special One ter declinado o convite e de Bruno Lage ter conquistado de forma convincente os dois primeiros encontros é que o setubalense passou a efetivo.

Sobre a atual equipa técnica benfiquista, Vieira confirmou que a cláusula de rescisão de Bruno Lage está fixada nos 20 milhões de euros. A novidade prendeu-se com a revelação sobre os valores com que os seus adjuntos estão blindados: cinco milhões de euros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.