No âmbito do julgamento do processo denominado de Jogo Duplo, relacionado com viciação de resultados no futebol profissional português, o Leixões foi hoje condenado a dois anos de proibição de participar na I e II ligas de futebol profissional.

O Leixões, atual 11.º classificado da II Liga, foi punido por um crime de corrupção ativa e condenado ainda ao pagamento de uma multa no valor de 60.000 euros.

Foram condenados a penas de prisão efetiva Gustavo Oliveira (seis anos e seis meses), Carlos Daniel Silva ‘Aranha’ (seis anos e nove meses), Rui Dolores (cinco anos e seis meses), Hugo Guedes (cinco anos e nove meses) e João Tiago Rodrigues (cinco anos e dois meses).

Os 27 arguidos do processo Jogo Duplo ficaram hoje a conhecer o acórdão do julgamento, que se iniciou em 22 de fevereiro de 2018 e cuja leitura foi feita no Tribunal Central Criminal de Lisboa, no Campus da Justiça.

De acordo com o JN, é avançado que a generalidade dos arguidos fica ainda impedida de participar – enquanto jogadores, treinadores ou dirigentes desportivas – nas competições profissionais de futebol, por períodos que chegam aos três anos e meio. Só um dos acusados foi absolvido de todos os crimes.

Alguns dos arguidos terão ainda de indemnizar em 100 mil euros o Clube Oriental de Lisboa por danos morais.

Além das do Oriental e dos Leixões, foram ainda abrangidos pelo esquema partidas da Oliveirense, do Penafiel, do Freamunde, do Covilhã, do Atlético e do Olhanense.

A defesa de vários arguidos já anunciou que vai recorrer da decisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.