O jornal espanhol Marca escreve, esta terça-feira, sobre Gonçalo Ramos, avançado que se estreou na convocatória da Seleção portuguesa e que tem vindo a fazer uma época de grande nível ao serviço do Benfica. Os primeiros minutos pela equipa das Quinas até poderiam ser realizados hoje, diante da Espanha, em Braga, mas ainda não será desta, visto que Fernando Santos deixou o jovem de fora dos convocados.

Grimaldo, lateral-esquerdo das águias, falou ao diário desportivo sobre as qualidades do jovem dianteiro. “Gosto de duas coisas nele. É goleador e tem uma intuição incrível. Além disso, é um enorme lutador, nunca descansa”, afirmou.

Também Carlos Carvalhal, atual treinador do Al Wahda, analisou Gonçalo Ramos, jogador que defrontou quando comandava o Braga. “Gosto muito dele, tem um grande futuro pela frente na Seleção portuguesa. É um jogador de equipa e tem um conjunto de qualidades pouco comum: trabalha, corre, luta… e é um bom finalizador. Remata bem de cabeça e com os dois pés. Interpreta bem os movimentos de rutura e de apoio”, afiançou o técnico português, que diz ter perguntando acerca da possibilidade de o futebolista rumar ao Minho: “Estreou-se pelo Benfica há três anos, contra nós. Não jogou, mas eu perguntei se havia possibilidade de vir para a nossa equipa emprestado. Disseram-me que era um valor seguro e que o Benfica tinha muitas expectativas colocadas sobre ele.”

A Marca conversou também com António Ribeiro, que foi colega de Gonçalo Ramos nas camadas jovens do Benfica e conta algumas curiosidades sobre o avançado natural de Olhão. “Começámos a jogar juntos na formação do Benfica, eu tinha 13 anos e ele 12. Tinha qualidade, mas faltava-lhe desenvolver-se fisicamente. Era ‘franzino'”, começou por contar.

“Com 16/17 anos começou a jogar regularmente connosco. Era mais pequeno, mas já não se notava. Sempre teve um instinto goleador. E na altura jogava a médio. Era um ‘8’ e marcava 25/30 golos por temporada. Mas depois começou a jogar como ‘9’, porque num torneio lesionou-se o nosso avançado e não tínhamos outro. Nesse dia, o Gonçalo marcou dois golos e já nada mais o tirou daquela posição”, revelou António Ribeiro, continuando os elogios.

“É um avançado diferente, é o primeiro defesa da equipa. Faz-me lembrar o Thomas Muller. É capaz de correr 12 quilómetros por jogo. Nos treinos era muito difícil pará-lo, obriga-te a estar sempre concentrado, porque ele está sempre em movimento”, realçou.

Para o antigo colega de equipa na “cantera” dos encarnados, Gonçalo Ramos “vai estar no Mundial’2022”, e, “depois do Cristiano Ronaldo vai ser a grande referência do ataque de Portugal”. “Não tenho dúvidas de que irá para um grande”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.