O presidente do Sporting Clube de Braga, António Salvador apresentou, esta quinta-feira, em conferência de imprensa, Custódio como novo treinador da equipa principal do clube, fruto da saída de Rúben Amorim para o Sporting, num negócio que rendeu um encaixe financeiro de dez milhões de euros.

Sobre o novo treinador Custódio, António Salvador afirmou: “Tem um conhecimento profundo do nosso clube e da filosofia que nos acompanha. O Sporting de Braga tem, hoje, muitos dos melhores recursos do futebol português, pelo que, em momentos como estes, as melhores soluções são as que já estão dentro de portas. Foi assim com Abel Ferreira, Rúben Amorim e Custódio”.

O presidente António Salvador admitiu, ainda, ter sentido algum incómodo quanto à saída de Rúben Amorim para o Sporting: “Acima de tudo está o Sporting de Braga, o seu crescimento e a defesa dos seus valores. Não posso nem devo ignorar que este é um timing inesperado. As ocorrências dos últimos dias devem motivar uma reflexão desportiva e ética“.

“O Sporting de Braga foi surpreendido por um movimento de um clube seu concorrente, curiosamente o que nos persegue na tabela, que à luz dos regulamentos e dos contratos conseguiu assegurar o nosso treinador. Percebo quem argumenta que situações destas podem desvirtuar as competições. Compreendo quem lembra o exemplo da Liga espanhola, onde tal contratação não seria possível”, atirou.

“Defendo, por isso, um debate alargado em prol do futebol português, mas acima de tudo quero deixar claro que defendo, como sempre defendi, o meu clube e os seus superiores interesses. Num momento como estes, o Sporting de Braga nunca poderia negociar, nunca poderia ceder, mas cabe às leis e regulamentos garantir um futebol acima de qualquer questão moral e ética. As pessoas são importantes, mas acima delas está sempre o clube”, acrescentou.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.