Escrito por: João Pereira

Esta semana tudo andou, aparentemente, muito “morno” nas hostes benfiquistas. As selecções nacionais estiveram na ordem do dia e pouco coisa haveria a dizer.

Pois bem, as palavras “aparentemente” e “haveria” não foram aqui escritas inocentemente, pois, na minha opinião, há muito a dizer e motivos de preocupação por um facto: a saída quase certa de Garay, para o Manchester United, que vários jornais nacionais e internacionais noticiaram. A ser verdade, é um motivo de preocupação, claro que não no imediato, porque o jogador permanecerá até ao final da época não Benfica, mas para a próxima época. Será, certamente, um árdua tarefa encontrar substituto para um jogador do calibre do argentino. Como isto das notícias-certas-mas-não-confirmadas-e-que-muitas-vezes-afinal-são-mentira tem muito que se lhe diga, eu continuo esperançado na permanência de “el negro” no Benfica. Não quero, com isto, desacreditar Jardel, Roderick ou Miguel Vítor, mas é óbvio que, se Garay sair, a defesa do Benfica sofrerá um decréscimo de qualidade, classe e experiência. Jardel não tem estado mal, mas Roderick e Miguel Vítor, tendo os dois bastante potencial, precisam de mais jogos na equipa principal para se poderem afirmar. Com Luisão a envelhecer, a defesa do Benfica necessita de alguém consistente e com créditos firmados para fazer parelha com o “Girafa”. Fica o apelo, fica Garay!

Neste fim-de-semana volta a Primeira Liga, com o Benfica a jogar com o Rio Ave no sábado. Das selecções vieram três jogadores aparentemente condicionados (Maxi, Melgarejo e Cardozo), estando os três em dúvida para o jogo. No entanto, creio que recuperarão até à data do jogo.

Sendo um jogo em casa, o Benfica não poderá facilitar contra uma das equipas sensação do campeonato, o Rio Ave. Os segundos classificados terão uma deslocação difícil a Coimbra, mas a prioridade do Benfica terá de ser sempre o de estar focado e o de pensar em ganhar os jogos, independentemente do resultado do adversário directo. Penso que os jogadores do Benfica estão cientes dessa situação e é com agrado que vejo jogadores como Luisão ou Lima, quando questionados acerca da possibilidade do Benfica vencer o campeonato e outras provas, não embandeirarem em arco, nem deixarem a euforia tocar conta deles, acalmando e chamando à atenção para a realidade de que ainda faltam muitos jogos e muitas batalhas pela frente para o Benfica ganhar o que quer que seja. 

 

Nota 1 – A selecção nacional fez um péssimo jogo em Israel, empatando, quando a obrigação seria a de ganhar. Apesar da vitória ontem contra o Azerbaijão, dificilmente alcançaremos o primeiro lugar e mesmo assim não poderemos escorregar mais sob pena de nem estarmos presentes no play-off, que contar com selecções fortes como Espanha ou França e Inglaterra. Todos são culpados. Equipa técnica e jogadores terão de ter uma nova atitude nos jogos seguintes.

 

Nota 2 – Terá Ronaldo forçado o cartão amarelo ou não? E se sim, com que intenção seria? A de “limpar cartões” contra o Azerbaijão para estar apto para o encontro com a Rússia ou a de não se desgastar em Baku para poder estar na melhor forma física no seu clube?

 

Nota 3 – O bate-boca entre Pinto da Costa e Paulo Bento era desnecessário. O seleccionador, quando confrontado com a primeira afirmação do presidente do F.C. Porto sobre a utilização de Moutinho, deveria ter respondido o que mais tarde, na gala da AF Porto, Pinto da Costa proferiu, dizendo que o que Paulo Bento diz não o aquece nem o arrefece.

 

A subir: Domínio de Bola. Escolhi pôr o “nosso” site a subir. Sobe a cada dia que passa e até chegou à televisão, mais concretamente ao Regiões TV. Um reconhecimento e um prémio justo para todos aqueles que constituem este projecto, que gostam dele e que querem vê-lo crescer todos os dias, com qualidade e com muito amor pelo desporto.

A descer: Jogo de Portugal em Israel. Empatamos mas tivemos a dois minutos de perder o jogo. Exibição má de mais para ser verdade.

Saudações Benfiquistas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.