alt

Escrito por: Ricardo Vidal

Saudades, era o que sentia até este fim-de-semana. Saudades de ver o meu clube impor-se, num palco que é tradicionalmente infernal, de forma personalizada. Uma equipa com classe, cultura tática e estabilidade emocional que, para mim, só peca pelo fraco sector defensivo, que foi fazendo o que podia dentro das próprias limitações. Marco Silva estudou bem o adversário e sabia que o Porto erra imenso na primeira fase de construção de jogo. Mandou as tropas pressionarem alto e com isso conseguiu: 1- pressionar o ponto fraco do dragão; 2- não deixar a bola chegar aos seus homens fortes, Jackson e Tello; 3- evitar complicar a vida aos defesas Maurício e P. Oliveira com menos bola naquela zona; 4- e por último deixar as vedetas de alvalade brilharem, Nani e João Mário, juntos o melhor e o mais virtuoso jogador da Liga. Os adeptos enjaulados abrilhantaram a festa com um apoio incansável, mostrando que somos realmente uns fanáticos diferentes de todos os outros. Vergamos o orgulho tripeiro ao ponto de no próprio Porto Canal o jornalista dizer que “por momentos pensei que o Sporting estava a jogar em casa”, e de facto tinha razão o apoio foi incondicional e faz-nos sonhar que coisas boas aí vêm para o meu clube. Por outro lado, admito que o Porto milionário está a dececionar. Tem um treinador que não admite que possa haver mérito do adversário, ou são os seus jogadores que “regalam” golos, ou é o árbitro que rouba, enfim, como se diz na terra dele “si no és del culo és de los pantalones”. Depois, tem qualidade individual mas não tem grupo nem coesão de equipa, dá a sensação que os de Lopetegui são uma equipa e os outros (comandados por Quaresma, possivelmente) outra equipa à parte. Tempos atribulados esperam-se para os lados do litoral norte.

 

"Podem 'enjaular' o leão, mas nunca o poderão domar"

Esta equipa faz-nos sonhar. ISTO É O SPORTING!

 

Saudações Leoninas

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.