Esta terça-feira, o Famalicão reagiu ao polémico caso do pequeno adepto do Benfica que teve de tirar a camisola para aceder à bancada dos adeptos da casa para assistir ao jogo do passado sábado. Em comunicado, o emblema famalicense exige “um pedido de desculpa formal por parte do Dr. Pedro Proença, representando a Liga Portugal, e do Dr. João Paulo Correia, representando o Governo.”

“O Futebol Clube Famalicão evitou até ao presente pronunciar-se sobre o acontecimento ocorrido no passado fim de semana porque pretendíamos averiguar os factos com o rigor exigido. No entanto, sem dar lugar ao contraditório por parte do Futebol Clube Famalicão, muito foi dito nestes dias até por altas individualidades do nosso país, nomeadamente o Presidente da Liga Portugal e o Secretário de Estado do Desporto. Lamentando profundamente a situação vivida pela criança, que não merecia a exposição a que esteve sujeita e à qual o nosso clube é totalmente alheio”, pode ler-se na nota oficial do Famalicão, que prossegue.

“O Estádio Municipal de Famalicão, propriedade da Câmara Municipal de Famalicão, está setorizado com duas zonas destinadas ao público visitante, nas quais são permitidos adereços do clube visitante. Bem visível foi a mancha vermelha presente naquela bancada, onde não se encontravam, neste caso concreto, o pai e a criança. Nesse sentido, ao pai da criança foi transmitido pelos assistentes de recinto desportivo (ARD’s) e pela PSP a impossibilidade de aceder com adereços da equipa visitante a uma bancada que não a afeta ao público visitante. Quando informado das condições de acesso e permanência no estádio (nas quais se inclui a permissão de utilização de adereços visitantes exclusivamente no setor visitante) pelo assistente de recinto desportivo no primeiro ponto de controlo antes da entrada, o pai da criança optou por retirar a camisola alusiva ao clube visitante do corpo do filho, expondo-o em tronco nu, o qual podemos atestar através dos elementos da segurança privada e segurança pública presentes no local assim como pela gravação de videovigilância do evento, não procurando uma alternativa para o seu acesso àquela bancada no cumprimento dos dispositivos regulamentares e legais”, explica o Famalicão.

O atual 14.º classificado aponta, ainda, críticas a Pedro Proença, presidente da Liga Portugal, e João Paulo Correia, secretário de Estado do Desporto, exigindo um “pedido formal de desculpas”, pelas “posições assumidas de uma forma extemporânea e ofensiva para a honra e bom nome” do clube.

“Aguardamos serenamente pelo pedido de desculpas formal de quem gravemente ofendeu este clube quando tinha o dever de defendê-lo, com a certeza que nada nos desviará do caminho de fazer do Futebol Clube Famalicão um clube cada vez maior”, concluem os famalicenses.

Refira-se que tudo aconteceu no passado sábado sábado, no encontro entre o líder Benfica e o Famalicão, da 6.ª jornada, quando uma criança terá sido obrigada a despir a camisola do Benfica numa bancada em clara maioria de adeptos locais.

Após o lamento do presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, e do repúdio do secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Correia, o organismo que tutela o campeonato anunciou o agendamento do assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.