Aos 22 anos, Phil Foden é já um dos grandes nomes do futebol inglês e mundial. Mas revela que há tentações a que é difícil resistir.

A vida de um futebolista profissional exige muito rigor também fora das quatro linhas e o descanso é um fator fundamental para um elevado rendimento de um atleta. Mas nem sempre é fácil resistir, principalmente quando se é jovem e há “tantas distrações” à volta. É disso que fala Phil Foden, avançado do Manchester City, numa entrevista à revista Esquire.

“Há muito a acontecer para um jovem futebolista como eu. O mais difícil é ir cedo para a cama e estar pronto para treinar no dia seguinte, quando há tantas distrações à volta. Penso que é aí que entra a dedicação. Obviamente, ao crescer vemos pessoas à nossa volta que ganham muito dinheiro a jogar futebol. Senti definitivamente a pressão disso. Eu queria poder tomar conta da minha família. Mas o meu trabalho era apenas manter-me concentrado no jogo. O meu objetivo era apenas o de me divertir. De jogar com um sorriso na cara”, admitiu o extremo de 22 anos.

“Quando entro em campo tudo o resto desaparece. Independentemente do que esteja a acontece na minha vida. Penso que alguns jogadores lutam com estas distrações, mas eu não. Gosto de futebol. Nada pode aparecer no meu caminho. Quando acordo não vejo a hora de chegar ao treino. Não quero que isso mude nunca”, continuou.

Noutro registo, Foden considera que a seleção Inglaterra é, “definitivamente”, uma das equipas favoritas à conquista do Mundial’2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.