Escrito por: Rui Fiel

Pois bem, infelizmente (porque o meu clube acabou por perder), calhou-me a mim fazer a crónica leonina no “DomíniodeBola” em fim-de-semana de derby dos derbies.

A questão que se coloca, imperativamente, é: “quanto vale realmente um derby?”. Para mim, linguagem futeboleira à parte, valerá sempre muito mais que apenas e só três pontos. Por tudo. Pela rivalidade, pela história, pelos adeptos, por tudo isto e muito mais e claro, pelos três pontos.

Este fim-de-semana eles voltam a ficar na Luz. Não tem nexo referir se lá ficaram com ou sem justiça. No jogo deste domingo o benfica fez dois golos e o Sporting nenhum. Poderia tê-los feitos, podia, mas não fez, e como o futebol ainda vive de golos, os de vermelho mantêm-se na frente com uma vantagem importante para a conquista do título.

Mas nem tudo correu mal ao SCP apesar da derrota. A equipa demonstrou que sabe jogar e que tem futuro, se com alguém importante e inteligente no banco, assim como se lhes forem fornecidas a calma e tranquilidade necessárias para trabalhar diariamente, sem rebuliços financeiros ou preocupações salariais no horizonte.

Escrutinando o derby do leão, verificamos que entramos em campo com seis portugueses, cinco jogadores oriundos da formação e uma média de idades de 22,8 anos. Uma equipa cada vez mais portuguesa, leonina e jovem por sinal.

Ora, se realmente os pressupostos que identifiquei anteriormente se verificarem, estas jovem equipa pode rapidamente ombrear com os seus mais diretos oponentes na conquista de muito mais que apenas o acesso à Liga Europa. Infelizmente o historial do Sporting em termos de estabilidade não tem sido o melhor, e face às dificuldades económico-financeiras que atravessa o futuro poderá não ser tão risonho quanto esta visão linear e muito rudimentar podia fazer prever, mas assim espero que aconteça.

Uma última nota para o árbitro do encontro, João Capela. Não gosto dele, nunca gostei, o que faz com que a minha visão esteja desde logo enviesada a desfavor do senhor, mas acho claramente que fez uma exibição como todos os árbitros portugueses deveriam fazer. Deixou jogar, nunca em demasia. Manteve uma atitude cortês e cordial com todos os intervenientes do jogo, principalmente com os jogadores. Não alimentou polémicas, ou círculos ou conferências dentro de campo. Não teve tão bem disciplinarmente, a meu ver principalmente na entrada de Matic sobre Bruma na primeira parte, e cometeu um erro grosseiro ao não assinalar grande penalidade e consequente expulsão de Maxi logo por volta dos 10min de jogo, o que poderia ter alterado a história do encontro.

Concluindo, espero um futuro risonho a estes miúdos que despontam em Alvalade e espero rapidamente a ascensão do meu clube das cinzas, qual Fénix renascida. 

 

Saudações Leoninas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.