Escrito por: Cláudio Moreira

De luva branca, claro. Que eu cá não tolero violência. É que já me chegou bem a violenta barrigada de riso que dei quando o Godinho Lopes disse que o Sporting era a maior potência desportiva em Portugal. Mas sabes, Iturbe, também não tolero outro tipo de coisas. Chico-espertices, por exemplo. E tu, Iturbe, saíste-me cá um valente chico-esperto. Mal sabia eu no que te virias a tornar.

Com que então o menino nas redes sociais clama e reclama e volta a reclamar por um lugar na equipa e quando tem oportunidade é um zero à esquerda? Anda o empresário a fazer pressão para o menino jogar com mais regularidade e tu, Iturbe, tropeças tantas vezes na bola que até enjoa o mais pacífico dos adeptos? É só isso que tens para dar, Iturbe?

Olha, há uns valentes meses, Iturbe, aqui mesmo neste espaço, questionei-me se eras um jovem promissor ou uma réplica do Freddy Adu. Nessa altura decidi-me pela primeira hipótese. Hoje, receio bem que me tenha enganado no juízo. É que tu não tens jogado absolutamente nada, pá. Desculpa dizer as coisas desta maneira, mas, Iturbe, é que tu nem na equipa B és capaz de mostrar alguma coisa que me leve a dizer ‘sim, senhor, está aqui um rapazola que pode ir longe’. Não. Pelo que mostras, o mais longe que conseguirás ir é para o Estádio do Bessa jogar nas divisões secundárias. Mau!

Mas o que me chateia mais, Iturbe, e perdoa-me a causticidade, é a tua falta de vontade em melhorar, caramba. Eu não sou ninguém para te aconselhar e, sabes que mais, detesto moralismos. Mas, Iturbe, ou arrepias caminho ou isto ainda dá para o torto. Caso não tenhas reparado, ainda não és ninguém no futebol. Iturbe, falta-te queimar imensas etapas. Mete isso na cabeça. É que é preciso arcaboiço para ter a carta-branca dos adeptos e poderes reclamar com legitimidade. O Hulk fazia asneiras? Ah, pois fazia! Mas acertava mais do que o que errava. Falhava um drible, mas depois compensava com um golaço do meio da rua. O Quaresma também falhava, mas depois era vê-lo a arrancar palmas do Dragão com as suas triveladas. E o Deco? Falhava passes, claro, mas depois corria desalmadamente até recuperar a bola. E depois fazia magia. Vês?, até te comparo com os melhores, não digas que sou tão mau assim…

E é isto que tens de fazer. Supera-te, pá, faz-te jogador! Só depende de ti. Tu, Iturbe, és, neste momento, o típico jogador do Football Manager com a característica Trabalho de Equipa com valor 1. Mais cedo ou mais tarde vais ter de mudar. Para teu bem, claro. Tens uma estrutura altamente profissional a proteger-te, gente que acredita nas tuas qualidades e um grupo de jogadores com quem podes aprender. Tens tudo para ser melhor, Iturbe. Por isso, deixa-te de mandar bitaites no Twitter e canaliza a tua frustração para dentro do campo. Tens de mostrar que és bom com os pés, não é com a língua.

Bem sei que não vais ler esta espécie de carta aberta, Iturbe. Mas aqui fica o desabafo. Dá-me uma chapada de luva de luva branca. Ou duas. As que forem necessárias. Prova-me que estou errado na minha análise. Põe em campo todo o teu talento e esbofeteia-me sem piedade. Faz com que eu engula todas estas críticas. Pontapeia-me, esmurra-me vezes sem conta. Confirma que és o talento que todos suspeitávamos. Acaba com as minhas dúvidas com golos, dribles e assistências. Comprova da maneira mais cruel que eu estou a ser tremendamente injusto contigo. Porque, Iturbe, o teu sucesso será o sucesso do clube e dos teus companheiros; o teu insucesso, Iturbe, pois bem, será apenas o teu insucesso.

 

Nota 1: Diz o excelso presidente do Marítimo que este vai ser um jogo de galácticos contra coitadinhos. A tacanhez deste sujeito, por vezes, atinge proporções inimagináveis. Só espero que perante isto a equipa dele saia goleada do jogo de hoje.

Nota 2: No último duelo de Vitórias, faz hoje uma semana, José Mota, treinador da equipa do Sado, foi expulso, alegadamente por palavras inapropriadas. Sabem quanto tempo demorou até ser castigado? Quatro dias. Sim, as mesmas pessoas que demoraram 187 dias para julgar as palavras públicas de Jorge Jesus, demoraram um fim-de-semana e dois dias úteis para sentenciar declarações que só o árbitro da partida ouviu.

Nota 3: Há umas semanas, Sousa Cintra afirmou que o Sporting era “um candidato ao título, que jogaria “de igual para igual com o Benfica, com o Porto e com os demais”; agora, a equipa leonina “está amorfa e envergonha os adeptos”. A falta de noção da realidade que para ali vai…

Nota 4: Um miminho para os meus leitores. Vejam aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.