Começa a agravar-se a crise no Desportivo das Aves. O guarda-redes Quentin Beunardeau decidiu avançar com rescisão unilateral do contrato com o Desportivo das Aves, alegando salários em atraso.

«É com enorme tristeza que me despeço dos adeptos do Desportivo das Aves. Foi um prazer enorme representar este clube e esta cidade e só tenho palavras positivas para a massa associativa. Infelizmente, dada a situação de incumprimento que é de conhecimento público, não tive outra solução que não fosse apresentar a minha rescisão. Sempre tentei colocar o clube e os seus interesses à frente dos meus e recusei alguns convites de outras equipas para continuar esta temporada no Desportivo das Aves, clube com o qual me identifiquei desde a primeira hora. Porém, considero que atingimos um ponto sem retorno, a total insustentabilidade da SAD, e tenho de fazer valer os meus direitos como trabalhador neste momento. Desejo que, quando a competição voltar, jogadores e equipa técnica encontrem os meios para salvar o Aves da despromoção pois o lugar deste clube é entre os maiores do futebol português. Agradeço a todos, dos adeptos aos colegas de equipa e equipas técnicas com quem trabalhei, o seu apoio desde que aqui cheguei que muito facilitaram a adaptação a um novo país», refere o guarda-redes francês na mensagem de despedida.

De acordo com o jornal «Público», Beunardeau reclama 177 mil euros de vencimentos por liquidar, para além de 15 mil euros em prémios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.