O diretor de comunicação do Sporting, Miguel Braga, comentou os incidentes na festa do título e reagiu às comparações feitas com as celebrações da conquista do FC Porto, relativa à temporada passada.

“Por muito que não quiséssemos dar azar, contactámos as diferentes entidades, alertando para uma possível comemoração. Não podemos fazer comparações incomparáveis. A dimensão nacional do Sporting fazia antever um tipo de festejo destes e não uma coisa mais ou menos regional”, começou por dizer, na Sporting TV.

“Estávamos à espera desta manifestação de pessoas espontânea, é difícil prever os sítios em que as pessoas pudessem estar concentradas. Para as autoridades, é diferente conseguir mandar alguém para casa em estado de emergência ou calamidade. A festa teve momentos bonitos. Sobre o lado menos positivo, o Sporting lamenta o excesso de força desnecessária venha de onde vier”, frisou.

O responsável pela comunicação dos leões enalteceu o percurso até à conquista e lembrou o passado para projetar o futuro. Miguel Braga também lembrou que a “verdade desportiva” saiu a ganhar. “Foi o projeto que fez a aposta no treinador, para controlar a despesa e que permitiu sonharmos com o futuro sustentável. Foi uma vitória da verdade desportiva. Foi necessário lutar contra tudo e contra todos, contra forças que não queriam ver o Sporting campeão e que tudo tentaram para que o Sporting não conseguisse chegar a esse objetivo. Se nos lembrarmos de onde viemos há três anos e de como as coisas estavam, esta foi a vitória do futuro do clube”, apontou.

Miguel Braga também reforçou a ‘batalha’ de que este foi o 23º campeonato vencido pelo Sporting e falou do estado desse processo. “Pedimos um parecer histórico assinado por dois historiadores portugueses, onde dão conta do que se passa na Europa e do que se passa em Portugal, na tentativa que se mantém desde o Estado Novo de reescrever a história do nosso futebol. E nós a compactuarmos com isso mais de 40 anos desde o 25 de abril, o que faz confusão. O Sporting continua à espera da resposta da comissão da FPF. Nos corredores já anda a correr a versão de que a comissão está a ponderar dar equivalência a campeão nacional a quem venceu a liga experimental. Algo que é experimental nunca devia ser considerado como o campeonato. Se fizermos o que se faz na maior parte dos países europeus, o Sporting ganhou 23”, sublinhou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.