A notícia é avançada pelo jornal Record, que dá conta de que referente ao processo disciplinar aberto a Sérgio Conceição, Vítor Baía e Rui Cerqueira no seguimento de uma queixa do Sporting sobre o episódio registado na garagem do Estádio do Dragão, após o clássico entre FC Porto e Sporting, a 11 de fevereiro, que resultou em acusações aos responsáveis portistas, assim como à SAD azul e branca, são propostos castigos severos.

A Comissão de Instrutores já entregou o seu relatório e a decisão está agora nas mãos do Conselho de Disciplina.

A mesma fonte adianta que Sérgio Conceição está indiciado por lesão da honra e da reputação e denúncia caluniosa, ilícito com um quadro penal de 1 mês a 2 anos de suspensão e multa entre 5.100 e 30.600 euros. Também Vítor Baía é acusado pela mesma infração e por agressão na forma tentada, pois terá aproximado a sua testa da de Frederico Varandas, ilícitos que pressupõem uma suspensão, em cúmulo jurídico, de 2 meses a 3 anos e multa entre 5.946 e 39.096 euros. Já Rui Cerqueira, diretor de imprensa do FC Porto, está indiciado por agressão, arriscando uma suspensão entre 3 meses e 3 anos e uma multa entre 2.550 e 25.500 euros. Por consequência, a SAD do FC Porto está também referenciada por lesão da honra e reputação e inobservância de outros deveres, o que, em cúmulo, poderá resultar em multas entre 20.300 e uns consideráveis 96.900 euros.

O episódio é referente ao final do clássico entre dragões e leões, no qual Frederico Varandas se deslocou à sala de imprensa do Estádio do Dragão e, entre outras críticas, referiu que o que se tinha visto era “um reflexo dos últimos 40 anos de Pinto da Costa” na liderança do FC Porto. À saída e já no espaço por onde passam os autocarros das equipas, o presidente do Sporting foi abordado pelos agora arguidos, momento no qual se gerou a confusão, conhecendo-se versões contraditórias sobre o episódio. Os responsáveis azuis e brancos terão agora um período para refutar as acusações, devendo ser ouvidos pelo Conselho de Disciplina, diligências após as quais este órgão disciplinar terá um prazo máximo de 15 dias para tomar uma decisão.

As acusações deduzidas surgiram de uma exposição feita pelo Sporting, pois no que diz respeito ao relatório do delegado da Liga, o mesmo fazia referência ao episódio apenas através de interposto relato feito por um elemento do Sporting, com o clube a assinalar publicamente a ausência de alguns detalhes, nomeadamente a envolver Sérgio Conceição. Entretanto, o Sporting chegou a anunciar queixa-crime contra o técnico e este prometeu resposta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.