O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) informou que foi alvo de arquivamento o auto de flagrante delito instaurado na sequência de uma entrada violenta de Eliseu sobre Diogo Viana, jogador do Belenenses, na terceira jornada da Liga NOS.

De acordo com a Lusa, a queixa que partiu do Sporting e que foi apresentada na Comissão de Instrutores da Liga não surtiu efeito porque o CD entendeu que não poderia ajuizar um lance específico que não mereceu qualquer sanção por parte do árbitro principal e do vídeo-árbitro daquela partida.

 

Rui Costa, árbitro do jogo, e Vasco Santos, vídeo-árbitro, foram ouvidos na sequência desta denúncia. O primeiro considerou o lance “normal” quando o viu e o segundo defendeu “não ter existido qualquer agressão ou prática de jogo violento por parte do jogador do Benfica naquela sua acção”.

“Nos casos em que um determinado lance de jogo seja observado e avaliado pelos agentes de arbitragem, não será o Conselho de Disciplina que, sobrepondo-se àquele juízo qualificado, irá determinar se ocorreu, ou não, uma violação intolerável das Leis do Jogo quando estas tenham um cariz vincadamente técnico”, pode ler-se no acórdão do CD da FPF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.