Escrito por: João Pereira

 

Caros amigos benfiquistas, esta semana, a actualidade do nosso clube ficou marcada pelo chumbo dos sócios ao relatório e contas do exercício de 2011/2012. Ao chumbo, juntou-se um coro de críticas a Luís Filipe Vieira (LFV), tendo mesmo rebentado um petardo dentro do pavilhão onde se realizava a assembleia geral e precisando, o presidente, à saída, de ser fortemente protegido por seguranças. O documento apresentava um exercício negativo de 12,9 milhões de euros (452 mil euros positivos caso se desconte o impacto das empresas participadas) e um passivo de 113 milhões de euros. No entanto, antes deste chumbo, foram aprovados novos Estatutos para o clube. Entra as alterações destacam-se a imposição de um candidato à presidência ter mais de 25 anos de filiação, a extensão dos mandatos de três para quatro anos e os futuros candidatos aos órgãos sociais do clube terão de ter, no mínimo, 43 anos de idade, uma vez que terão de ter 25 anos ininterruptos de sócios efectivos (desde a maioridade), enquanto os estatutos anteriores permitiam eleger um presidente com 23 anos (5 anos de sócio efectivo). Para além disto, os novos Estatutos determinam que o chumbo num relatório e contas, que obrigava, no passado, a nova elaboração do mesmo, que passado 15 dias teria que ser novamente aprovado, e que caso não fosse, levaria à demissão da Direcção do clube, agora traduz-se num acto sem significado, que pode ser ignorado, e não obriga a Direcção a rever o mesmo.

Pois bem, de uma coisa tenho a certeza, o presidente do nosso clube não sai nada bem da fotografia, qualquer que seja o desenlace de toda esta situação. Parece-me óbvio que, com a aprovação dos novos Estatutos, LVF salvaguardou-se de potenciais candidaturas de figuras como José Eduardo Moniz e, até, Rui Costa. Mais, parece-me, igualmente, um atropelo à democracia o facto do chumbo às contas do clube nada significarem em termos práticos.

É verdade que LFV fez muitas coisas boas pelo clube desde que está na presidência, mas o aumento do passivo, os poucos títulos conquistados e promessas não concretizadas estão a levar à sua descredibilização, a levar adeptos e sócios (não apenas membros da claque, como muitos pensam) a exigirem respeito, amor e dedicação pelo clube e a exigirem a sua saída.

Várias perguntas se impõem: estará aberta uma crise no seio do clube? Irá LFV recandidatar-se? E se se recandidatar, conseguirá vencer as eleições? Esperemos para ver, dia 26 de Outubro há eleições. De uma coisa tenho a certeza, depois destes novos Estatutos terem sido aprovados, não vislumbro, pelo menos à primeira vista, uma alternativa clara a LFV.

Falando brevemente do futebol dentro das 4 linhas, o Benfica ganhou, o F.C. Porto escorregou e estamos de novo na frente do campeonato ex-aequo com os azuis. Foi uma vitória sofrida, mas gostei da exibição da equipa, à excepção dos primeiros 15/20 minutos da primeira parte. De resto penso que o Benfica foi um justo vencedor e criou oportunidades mais que suficientes para avolumar o resultado.

Já na noite passada, com o Barcelona, o jogo foi o que eu esperava, domínio total da posse de bola por parte dos blaugrana e um golo sofrido logo no começo do jogo. Apesar do Benfica ter criado alguns lances de perigo e de ter lutado, não foi capaz de se opor ao poderio do Barcelona e, por mais que nos custe, este resultado foi mais que natural. Concentremo-nos agora na Liga Portuguesa e em ficar em segundo no grupo, coisa que está bem ao nosso alcance.

 

Nota 1: Parabéns à equipa de hóquei do Benfica pela conquista da Supertaça frente a uma brava equipa da Oliveirense.

Nota 2: De realçar que os bons resultados da canoagem portuguesa continuam a surgir, com excelentes classificações dos atletas portugueses no Campeonato do Mundo de Maratonas sub-23 (6 medalhas: quatro de prata e duas de bronze, para além de que todas as embarcações portuguesas participantes terminaram as suas provas dentro do top 10)

 

 

A subir: André Villas-Boas, Chelsea e Vaz Tê. O treinador português parece ter encontrado, finalmente, o caminho da felicidade em Inglaterra e esta semana ganhou em casa do candidato ao título Man. United. Também em Inglaterra, o Chelsea continua a vencer, desta feita em casa do Arsenal e mantêm-se no topo da tabela. Por último, o português Vaz Tê é peça fulcral no West Ham, tem realizado excelentes exibições e no último jogo fez mais um golo na vitória dos hammers sobre o QPR.

 

 

A descer: Sporting Clube de Portugal. Uma enorme desilusão. À imagem da época passada, tem um plantel recheado de bons jogadores, mas como equipa pouco ou nada se vê. Não fosse o Estoril ficar reduzido a 10 e provavelmente sofreria mais uma derrota no sábado passado. 

 

 

Até daqui a quinze dias.

Saudações Desportivas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.